MAPAS MUNICIPAIS

Os mapas são importantes formas de comunicação. Sendo assim, eles possuem a sua própria linguagem, usada para transmitir informações de forma simples, prática e direta. Essas linguagens são os símbolos dos mapas, e seus significados estão disponíveis nas legendas.


Diferentemente de fotografias aéreas e imagens de satélite, os mapas são representações seletivas do espaço, pois neles são escolhidas apenas aquelas informações necessárias para o entendimento de determinados aspectos de uma área. Por exemplo, para quem quiser estudar a espacialidade dos focos da seca no sul de Angola, pode utilizar um mapa de Angola que contem símbolos que indicam apenas as localidades onde houve registos de ocorrência deste fenómeno natural.


A escolha dos símbolos cartográficos não é aleatória. Ela obedece a uma lógica previamente sistematizada. Existem três tipos principais: pontual, linear e zonal.


Pontual: Os símbolos cartográficos pontuais são utilizados para representar localidades ou elementos cujas áreas totais são muito pequenas ou até insignificantes perante o tamanho total da área representada. Exemplos: aeroporto em uma cidade; cidade em um país; paragens de taxis ou autocarros em um determinado bairro.


Linear: Os símbolos lineares são utilizados para representar objetos ou elementos de largura muito pequena, mas grandes em extensão. Exemplos: estradas, rios e caminhos de ferro.


Zonal: Os símbolos zonais são utilizados para representar objetos ou áreas de grande extensão com relação à área representada. Exemplos: reservas florestais, tipos de relevo, campos de cultivo, entre outros.


Além disso, esses três tipos de símbolos podem variar conforme a suas cores, os seus tamanhos ou a direção para onde apontam. De modo que, para alguns elementos, já existem algumas cores previamente definidas, como o azul para a água e o verde para florestas e coberturas vegetais.


De modo geral, os símbolos de um mapa precisam estar de acordo com o que é representado, não podemos, por exemplo, utilizar a figura de um avião para representar uma estação de comboio. Também deve estar de acordo com o título e tema nele tratados. Ter conhecimento sobre esses critérios é muito importante para facilitar a leitura de mapas de todos os tipos.


E quem é que faz os mapas?


O cartógrafo. responsável pelo estudo, planejamento, coleta de dados, análise e organização dos materiais. Ele analisa a área geográfica antes de fazer um mapa daquele local. Para fazer o mapeamento de uma região, o cartógrafo precisa projetar, dirigir e fiscalizar a execução dos apoios topográficos.


Para conseguir exercer a profissão, o cartógrafo devem ter conhecimentos a respeito de solo, relevo, vegetação, demografia, clima e recursos hídricos.


A Cartografia está ligada a muitas áreas do conhecimento, como Geografia, Arquitetura, Geologia e Biografia. Profissionais dessas áreas, muitas vezes, precisam do auxilio de um cartógrafo para realizarem suas atividades.


Além de fazer mapas, é esse profissional que auxilia as administrações municipais na gestão das infraestruturas sociais e económicas local, bem como na distribuição correta dos serviços as populações e na cobrança de taxas ou impostos.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Endereço

Contactos

912251080 / 936676924

contacto@topogis-ao.com

 

São Paulo - Cónego Manuel das Neves

Prédio 466, 3 º Andar Apto - F

Luanda - Angola

Latitude: 8°49'0.09"S / Longitude:13°15'19.20"E 

Nossas redes sociais

  • entrar em contacto
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Flickr Social Icon
  • Instagram Social Icon

Receba nossas novidades!

 

© TOPOGIS.Lda, 2008 - 2019